Compartilhe nas rede sociais

Epilepsia ou Crise epiléptica?

A definição de crise epiléptica é a ocorrência transitória de sinais e/ou sintomas devidos a atividade neuronal anormal, excessiva, e síncrona do cérebro.

Epilepsia é um distúrbio cerebral caracterizado pela predisposição persistente em gerar crises epilépticas e pelas consequências neurobiológicas, cognitivas, psicossociais desta condição. A definição de epilepsia requer a ocorrência de pelo menos uma crise epiléptica (ver foto/slide com critérios).

A crise sintomática aguda ocorre em resposta a insultos sistêmicos (com capacidade de afetar todo o organismo) ou a um insulto agudo do Sistema Nervoso Central (SNC), de origem metabólica, tóxica, estrutural, infeccioso ou inflamatório, e geralmente ocorre nos primeiros sete dias do insulto (porém, depende do fator desencadeante). As crises cessam assim que o evento é controlado, então fármacos anti-epilépticos devem ser usados apenas na fase aguda da doença.

Crises Febris representam um tipo de insulto agudo sistêmico, capaz de gerar crises, assim como os distúrbios hidroeletrolíticos.

Epilepsia se desenvolve em 2 a 4% das crianças com história de Crises Febris, o que é quatro vezes mais frequente do que as crianças no geral. O risco aumenta para 57% em caso de Crises Febris Complexas (focais, prolongadas, ou com recorrência frequente).

Em caso de crises febris de repetição, ou com características incomuns, vale a pena informar ao pediatra e, se necessário, procurar avaliação de um neurologista infantil.

Referências:

– Fisher RS, et al. Epileptic seizures and epilepsy: definitions proposed by the International League Against Epilepsy (ILAE) and the International Bureau for Epilepsy (IBE). Epilepsia 2005.
– Beghi E, et al. Recommendation for a definition of acute symptomatic seizure. Epilepsia 2010.
– Bast, T., & Carmant, L. Febrile and other occasional seizures. Pediatric Neurology Part I, volume 111, chapter 52, 2013.
– Sadleir, L. G., & Scheffer, I. E. Febrile seizures. BMJ, 2007.

Leia também

Telas: impacto no desenvolvimento infantil

Não adianta negar, hoje vivemos num mundo cercado por elas, as famigeradas telas. Se já não é possível negar a sua existência, mais difícil ainda é saber balancear o seu uso, entender o que é saudável e o que se torna excessivo; sem cair na armadilha de dizer que todo tempo é ruim, o que […]

O que fazer durante a crise epiléptica?

1️⃣ Tente ficar calmo.2️⃣ Consulte o relógio para determinar o momento de início da crise, e poder informar posteriormente a duração.3️⃣ Vire a criança de lado, para evitar engasgos com saliva ou com eventuais vômitos.4️⃣ Afaste a criança de perigos potenciais, como fogão, móveis, escadas ou trânsito.5️⃣ Abra botões, zíperes, deixe a criança confortável.6️⃣ Se […]

TEA: mitos e verdades

🧩 Mito: Não fazem contato ocular💜Verdade: No geral, o contato ocular é algo que requer mais intimidade, ou pelo menos uma situação de maior conforto para o autista. Porém, como sempre falo, cada indivíduo é único, alguns terão contato ocular normal, sustentado, e alguns terão olhar um pouco mais intenso, pelo esforço em mantê-lo. 🧩Mito: […]

Altas Habilidades e Superdotação / AHSD

Superdotação é uma característica inata do indivíduo; um potencial emocional/cognitivo muito acima da média que pode abranger uma ou mais áreas do conhecimento humano (intelectual, artístico, esportivo, social). Outros termos usados ​​para descrever superdotação incluem “talento excepcional” e “alta habilidade”. As crianças superdotadas geralmente têm altos graus de automotivação, curiosidade, perseverança e prazer em desenvolver […]

TDAH

O transtorno do déficit de atenção/hiperatividade (TDAH) é uma condição crônica de saúde mental, de base biológica, com manifestações comportamentais distintas na infância, adolescência e vida adulta. Cada um dos principais sintomas do TDAH tem seu próprio padrão e curso de desenvolvimento. Comportamentos hiperativos e impulsivos quase sempre ocorrem juntos em crianças pequenas. O subtipo […]